sábado, outubro 22, 2005

Carreira Executiva: O poder da inteligência moral

Por Gutemberg B. de Macedo
A sociedade moderna brasileira, estupefata, descrente, ferida em sua alma e desmoralizada em seu caráter, assiste – em tempo real, ao vivo e em cores – a uma onda avassaladora de corrupção. Ela varre o País e algumas de suas mais importantes instituições – públicas e privadas – escancarando a corrupção, revelando que, no concerto das nações, somos um dos países mais corruptos do mundo.
Inteligência moral não é apenas importante como as demais competências. Ela é a pedra fundamental sobre a qual todas as outras se alicerçam. Afinal, é a inteligência moral que dá significado à vida e à carreira. Ela infunde credibilidade e respeito às ações de um líder e evidencia sua natureza e caráter. Sem ela, todas as outras se desintegram. Daí a advertência do grande mestre budista Shantiveda no livro A Guide to the Bodhisattva’s Way of Life: “Os imaturos trabalham em benefício próprio. Os Budas (iluminados) trabalham em benefício dos outros. Contemple a diferença entre eles”. É bom frisar ainda que 70 por cento dos profissionais desprovidos dessa inteligência encerram a carreira de maneira triste – solitários, esquecidos ou mesmo presos.
Postar um comentário