terça-feira, junho 08, 2010

CONSTRUÇÃO CIVIL: NORDESTE OFERECE 30% DE NOVOS EMPREGOS.

     Já havia comentado anteriormente que as grandes construtoras do ramo imobiliário no sudeste, especificamente Rio de Janeiro e São Paulo deveriam tratar esta questão com muita seriedade, pois com o mercado da construção civil aquecido e alavancado pelo programa Minha Casa Minha Vida, iríamos ter problemas sério com mão de obra para atender a nossa demanda.
        Valor Online: Murillo Camarotto, de Recife 08/06/2010
     O bom momento, no entanto, vem acompanhado de uma grave crise na oferta de mão de obra.
     Em ebulição, a indústria da construção civil cresce a taxas chinesas no Nordeste, resultado da combinação entre crédito farto, déficit habitacional elevado e crescentes investimentos em infraestrutura. O bom momento, no entanto, vem acompanhado de uma grave crise na oferta de mão de obra, o que já está se traduzindo em perdas para algumas empresas. Faltam pedreiros, pintores, carpinteiros, eletricistas, engenheiros e até estagiários. A região responde por três em cada dez empregos gerados no setor em todo o país, enquanto o consumo de cimento nos nove Estados cresceu em média 9,3% ao ano entre 2006 e 2009, muito acima da média nacional de 5,9%.
     O mercado da construção no Nordeste deve continuar aquecido nos próximos anos. Além das boas perspectivas para o segmento residencial, puxado pelo programa Minha Casa Minha Vida e pelo aumento do crédito imobiliário, a região abrigará três sedes da Copa do Mundo de 2014, o que deverá gerar investimentos importantes em Fortaleza, Recife e Salvador.
     As condições favoráveis colocaram a região no mapa estratégico das grandes construtoras do Sudeste. Há cerca de dois anos, elas vêm aumentando o número de projetos no Nordeste, sozinhas ou em parcerias com empresas regionais, que também estão ampliando bastante seus negócios.



Postar um comentário