terça-feira, março 30, 2010

MERCADO IMOBILIÁRIO: METAS DO PAC 2 FAZ CAIR AÇÕES DE CONSTRUTORAS

      O cidadão que ainda não adquiriu a sua casa própria dentro do programa Minha Casa, Minha Vida, deve ficar muito atento, pois o subsidio que vai de R$ 2.000,00 ate R$ 23.000,00 para renda de 0 a 6 salários podera sofrerá mudanças, onde o foco de acordo com o PAC 2 será nas faixas salariais de 0 a 3 salários.
Valor online.
Daniele Camba, Danilo Fariello e Paulo de Tarso Lyra, de São Paulo e Brasília-30/03/2010
      O objetivo de construir 2 milhões de unidades ficou abaixo da expectativa. As construtoras esperavam até 3 milhões.
      O programa Minha Casa, Minha Vida 2, anunciado ontem pelo governo federal no âmbito do PAC 2, desagradou ao mercado. As ações de construtoras figuraram entre as maiores quedas da Bolsa de São Paulo e deram o tom negativo num dia em que o Índice Bovespa subiu 1,83%. Caíram os papéis de PDG - menos 4,65%, maior queda do Ibovespa -, Gafisa, MRV, Cyrela e Rossi.
     O mercado esperava que a segunda edição do programa trouxesse mudanças no modelo de liberação dos recursos por parte da Caixa Econômica Federal e metas mais ambiciosas. O objetivo de construir 2 milhões de unidades ficou abaixo da expectativa - as construtoras esperavam até 3 milhões. Além disso, 60% do total das novas unidades serão direcionados às famílias com renda de até três salários mínimos, sendo que na primeira versão do pacote essa fatia era de 40%.
      A nova versão do PAC reforçou o foco em investimentos sociais genéricos. Dos seis subgrupos, quatro visam a mudanças nos municípios ou mesmo em bairros. Foram incluídas as categorias "Cidade Melhor", "Água e Luz para Todos" e "Comunidade Cidadã". Este último tem previsão de R$ 23 bilhões e inclui Unidades de Pronto Atendimento, creches e até complexos esportivo-culturais.
Postar um comentário